4.12.11

o senhor do Rossio

Para quem costuma passear por Lisboa, provavelmente algum dia viu este senhor pela zona do Rossio, quem não passeia já o pode ter visto em alguma reportagem. É um senhor que tinha um enorme tumor (mas mesmo enorme) na cara, de tão grande que era dificultava bastante a respiração e a alimentação, uma vez que também estava na língua. É mesmo algo indescritível e eu que sou muito sensível a estas coisas, lembro-me que a primeira vez que o vi (já há uns bons anos) fiquei muito impressionada.

Ontem vi uma reportagem na sic e graças a um médico de Chicago, o senhor já não tem o tumor e tem uma vida extremamente normal. Fiquei muito feliz, uma história que acabou bem. Gostava muito de voltar a ver o senhor pelas ruas do Rossio, ir ter com ele, dizer-lhe que fiquei muito feliz por ele e pedir-lhe desculpa por algum dia ter olhado para ele de maneira diferente.

9 comentários:

  1. Vi-o no Rossio e na entrada de Queluz (quem vem de Belas) e era impressionante. Ainda bem que houve alguém que se interessou por ele e fez mais do que tirar fotografias.

    ResponderEliminar
  2. Também me lembro de ver esse senhor :) mas agora que ele está bem deve ter uma vida muito mais feliz!

    ResponderEliminar
  3. todos merecemos estar bem na vida, socialmente tb! q bom para ele =)

    Maria

    www.facebook.com/sexynacidade

    ResponderEliminar
  4. Também vi e fiquei chocada! Todos aqueles anos devem ter sido horríveis..
    Confesso que até fiquei emocionada por ver como ele ficou no fim de tudo.
    Espero que, a partir de agora, consiga ter uma vida o mais normal possível, ele merece :)

    ResponderEliminar
  5. lembro-me de vê-lo no rossio sim e fazia-me imensa impressão! ainda bem que teve um final feliz :)

    ResponderEliminar
  6. Epá!! Lembro-me bem desse senhor, nem conseguia olhar para ele confesso. Fico feliz por ele, fico mesmo :)

    ResponderEliminar
  7. Até me caiu uma lágrima, mas ainda bem que ele já está bem, se bem que teve de levar com olhares menos bons durante anos, porem verdade seja dita, é impossível olhar para este rosto e permanecer indiferente.

    ResponderEliminar